Brasil:

A cooperação russo-brasileira no campo nuclear é regida pelo Acordo de 15 de Setembro de 1994, entre os Governos da Federação Russa e da República Federativa do Brasil, sobre a cooperação nos usos pacíficos da energia atômica. Em 21 de julho de 2009, um memorando de entendimento foi também assinado entre Brasil e Rússia.

Em agosto de 2014, a Rosatom International Network e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) assinaram um acordo de cooperação. Atualmente, as partes estão trabalhando na implementação de projectos científicos, educacionais e comerciais mutuamente benéficos.

O Instituto de Pesquisas Energéticas Nucleares do Brasil (IPEN), sob a Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) e a JSC Isotope têm cooperado no fornecimento de produtos de isótopos, em especial, molibdênio-99, a partir de 2015. No primeiro trimestre de 2016, o espectro de produtos fornecidos foi ampliado devido ao início do suprimento de iodo-131.

Além disso, um memorando de entendimento foi assinado entre a Corporação Estatal russa de Energia Atômica "Rosatom" e a Nuclebrás Equipamentos Pesados (NUCLEP), a empresa nuclear líder no Brasil em prestação de serviços de engenharia pesada. O objetivo do memorando é o desenvolvimento da parceria entre as partes, não só na indústria de energia nuclear e eletricidade, com cooperações em eventuais construções de centrais nucleares no Brasil, mas também na cooperação em uma ampla gama de áreas.

Argentina:

Em junho 2014, um memorando de cooperação entre a Rosatom International Network e a Faculdade de Engenharia da Universidade de Buenos Aires foi assinado, envolvendo a cooperação entre as partes na execução de projetos comuns no domínio da ciência e da educação, e também de potenciais projetos comerciais. Esta cooperação, que começou em 2013, permitiu realizar uma competição internacional entre estudantes pósgraduados e graduados para premiar o melhor projeto relacionado ao tema do uso pacífico da energia atômica e organizar visitas técnicas às empresas da indústria nuclear na Rússia.

O contrato para o fornecimento regular do Mo-99 russo para a Argentina foi celebrado em 26 de Maio de 2013. Em 12 de Junho de 2013, a primeira entrega de Mo-99 foi feita e atualmente, as entregas são feitas semanalmente.
Em 23 de abril de 2015, o Governo da Federação Russa e o Governo da Argentina assinaram um Memorando de Entendimento, que define o quadro de cooperação entre as partes no domínio da construção da 6ª central nuclear em território Argentino, com reator energético refrigerado a água (VVER), de design russo e com capacidade de 1.200 MW.

Além disso, a empresa de combustíveis TVEL assinou dois Memorandos de Entendimento com a Comissão de Energia Atômica Nacional da Argentina e com a Corporação Estatal da província de Rio Negro (República da Argentina) INVAP. Estes documentos visam a cooperação e as iniciativas conjuntas em uma ampla gama de questões no domínio da energia nuclear, incluindo: as entregas de combustíveis de baixo enriquecimento e de seus componentes para os reatores de pesquisa e de alimentação na Argentina; suprimentos de componentes de zircônio do ciclo do combustível nuclear fabricados pela TVEL; e projetos conjuntos de investigação e de desenvolvimento.


Bolívia:

Em 08 de outubro de 2015, a Corporação Russa de Energia Atômica Rosatom e o Ministério de Hidrocarbonetos e Energia do Estado Plurinacional da Bolívia assinaram um Memorando de Entendimento sobre a cooperação no uso pacífico da energia atômica.

O memorando envolve amplas áreas de cooperação entre as partes, tais como: utilização de radioisótopos e tecnologias de irrradiação e sua aplicação na indústria, medicina, agricultura e outras áreas; fornecimento de qualificação e treinamento de pessoal em várias áreas de uso pacífico da energia nuclear; assistência na criação e desenvolvimento de infraestrutura para a gestão e regulação do programa nuclear da Bolívia; desenvolvimento de programas de aceitação pública de projetos de energia nuclear, inclusive através da disponibilização de centros de informação pública, etc.

Em 6 de março de 2016, a Federação Russa e o Estado Plurinacional da Bolívia assinaram acordos intergovernamentais de cooperação no domínio da energia nuclear para fins pacíficos e para cooperar na construção do Centro de Pesquisa e Tecnologia nuclear no território boliviano, com a infra-estrutura necessária para o uso em ciência, medicina, indústria e agricultura, com reatores de investigação, ciclotron, instalação de radiação gama e um complexo de laboratórios.

Peru:

Em 1995, a Rússia construiu um Centro multiproduto para irradiação em Lima, com base em fontes gama (Co-60) e com uma atividade total de 1000 kCy. É utilizado para a esterilização de produtos médicos e farinha de peixe.

Cuba:

Em 1985, a Rússia construiu um Centro multiproduto para irradiação em Havana, com base em fontes gama (Co-60) e com uma atividade total de 1000 kCy. É utilizado para a esterilização de peixes e frutos do mar.